Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/1571
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSardinha, Maura-
dc.contributor.authorSilva, Anna Carla Ferreira-
dc.date.accessioned2017-03-16T18:21:24Z-
dc.date.available2017-03-18T03:00:17Z-
dc.date.issued2007-07-09-
dc.identifier.citationSILVA, Anna Carla Ferreira. Lima Barreto e a crônica da modernização. 2006. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Jornalismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/1571-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectLima Barretopt_BR
dc.subjectCrônicapt_BR
dc.subjectModernização da cidade do Rio de Janeiropt_BR
dc.titleLima Barreto e a crônica da modernizaçãopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7879003858222571pt_BR
dc.contributor.referee1Kuperman, Priscila de Siqueira-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2372370088546263pt_BR
dc.contributor.referee2Lima, Regina Celia Montenegro de-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5594794149144945pt_BR
dc.description.resumoLima Barreto é o mais crítico cronista da República Velha no Brasil. Suas crônicas sociais transmitem o retrato de uma época, povo, cidade e governo. Um extenso e brilhante registro da vida no Rio de Janeiro que reflete fragmentação, atualidade e modernidade. Seu estilo fluente e coloquial influencia escritores modernistas. A crônica, no Brasil e na segunda metade do século XIX, torna-se um gênero especifico ligado ao jornalismo, que prima pela argúcia na análise dos fatos e pela qualidade do estilo. Enfatiza o papel da oralidade, um estilo característico que, estritamente ligada ao jornalismo, prepara o leitor para a leitura estabelecem uma ligação entre cultura oral e cultura escrita. Propicia uma literatura pedagógica, facilitadora da leitura, mas que problematiza a questão do discurso do senso comum. E pode ser considerada um gênero fronteiriço entre jornalismo e literatura.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Comunicação - Jornalismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ASILVA.pdf588 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.