Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/19616
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Os cinemas como formas urbanas: os padrões espaço-temporais da exibição cinematográfica em Copacabana (1909–2021)
Author(s)/Inventor(s): Cruz, Vinícius Burle Ferreira Araujo
Advisor: Gomes, Paulo Cesar da Costa
Abstract: Dentre os bairros da cidade do Rio de Janeiro que ficaram conhecidos pela concentração de salas de cinema, Copacabana se mostra como um caso significativo, visto que o conjunto de cinemas do bairro alcançou expressão notável em seu período de auge, com 16 cinemas ativos simultaneamente. Foi, assim, o segundo bairro com maior número de salas em dado período (1911–1970), atrás apenas da Tijuca (SOUSA, 2019), cuja expansão da atividade foi analisada anteriormente (FERRAZ, 2009). Dado a relevância da atividade em Copacabana, o objetivo geral desta pesquisa é compreender os padrões espaço-temporais do conjunto de cinemas do bairro de 1909, ano da inauguração da primeira sala de cinema fixa, até 2021, data do fechamento do Roxy, último cinema ativo de Copacabana. Os procedimentos utilizados consistiram em, primeiramente, descrever as características dos cinemas de Copacabana (tempo de atividade, capacidade, localização) a partir dos dados obtidos no catálogo confeccionado por Gonzaga (1996) e no acervo de periódicos da Biblioteca Nacional. Esses parâmetros foram utilizados para criar uma periodização das diferentes configurações espaciais do conjunto de salas de cinema de Copacabana. Como resultados identificamos dois eixos de concentração de salas formados em períodos distintos: o cluster com cinco cinemas próximo ao posto 4, que respondia por mais da metade da capacidade de público do bairro entre 1942 e 1997 (6715 dos 8176 assentos em 1950), e posteriormente, de 1958 a 1969, formou-se outro agregado com cinco cinemas adjacentes no sul de Copacabana, próximo a Ipanema. A periodização indicou três momentos da atividade. O primeiro, que se estende de 1909 a 1940, contou com cinemas que de forma geral não obtiveram sucesso e fecharam após pouco tempo. No segundo, de 1941 a 1985, a atividade se consolida e passa a crescer rapidamente, contando com um alto número de inaugurações e manutenção das salas já existentes, é nesse período que o bairro atinge o ápice de cinemas simultâneos com 16 cinemas em 1969. O último período, entre 1986 e 2021, apresentou uma queda gradativa, acentuada no final dos anos 90, sem abertura de salas e com o fechamento dos cinemas ativos, até o fim do Roxy em 2021, que também consistiu no fim da atividade no bairro.
Keywords: Cinema
Geografia urbana
Copacabana
Rio de Janeiro (RJ)
Espaços públicos
Motion pictures
Urban geography
Public spaces
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA::GEOGRAFIA HUMANA::GEOGRAFIA URBANA
Production unit: Instituto de Geociências
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: 9-Jan-2023
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Citation: CRUZ, Vinícius Burle Ferreira Araujo. Os cinemas como formas urbanas: os padrões espaço-temporais da exibição cinematográfica em Copacabana (1909–2021). 2023. 35 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) – Departamento de Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2023.
Appears in Collections:Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VBFA.CRUZ.pdf802.8 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.