Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/2481
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorHasenclever, Lia-
dc.contributor.authorFerraris, Fabrizio Klabund-
dc.date.accessioned2017-07-26T13:47:21Z-
dc.date.available2017-07-28T03:00:13Z-
dc.date.issued2010-09-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/2481-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEconomia brasileirapt_BR
dc.subjectEstratégia empresarialpt_BR
dc.subjectDesenvolvimentopt_BR
dc.subjectPrivatizaçãopt_BR
dc.subjectEmpresas privadaspt_BR
dc.titleEstratégias de crescimento da companhia Vale do Rio Doce após a privatizaçãopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/1501388573142596pt_BR
dc.contributor.referee1Paranhos, Julia-
dc.contributor.referee2Filho, Murilo Cruz-
dc.description.resumoAnalisa as estratégias de crescimento da Vale sob o prisma da Teoria do Crescimento da Firma de Edith Penrose de 1959. Serão vistas as modalidades de estratégias, as motivações e os resultados destes processos. É importante destacar que não é o objetivo deste trabalho avaliar o crescimento da Vale, o foco verdadeiro são as estratégias e em segundo plano seu resultante, o crescimento. A Vale foi escolhida por representar um caso rico de estratégias empresariais no Brasil e a sua curta história como empresa privada nos dá a vantagem de possuir uma contemporaneidade com seus eventos de maior impacto na economia do setor. Apesar de a empresa ter sido privatizada em 1997, foi escolhido o período de 2001-2010 justamente por poder fornecer um conjunto maior de informações e estatísticas. Por fim, deseja-se especular sobre a existência de estratégias que possam ser analisadas à luz da teoria de Penrose, verificando se há correlação entre o potencial de crescimento das firmas com os movimentos adotados ao longo das suas histórias, mais especificamente nos padrões descritos pela autora. O resultado indica que para as principais modalidades de estratégia de crescimento empreendidas pela Vale, Penrose já havia desenvolvido ou esboçado situações semelhantes e até idênticas, mesmo que incidentalmente. Fora observado ainda que a autora soube recriar, mesmo em um tempo onde não havia empresas tão modernas e mutáveis como as atuais, uma teoria que fosse abrangente o suficiente para que a leitura do crescimento das firmas adotasse um padrão observável ao longo do tempo, como foi o caso da Vale.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Economiapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIA INDUSTRIAL::ORGANIZACAO INDUSTRIAL E ESTUDOS INDUSTRIAISpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FKFerraris.pdf361.71 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.