Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/250
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorOliveira, Antonio Jose Barbosa de-
dc.contributor.authorAlmeida, Sylvia Pessoa-
dc.date.accessioned2016-05-05T15:37:06Z-
dc.date.available2016-05-07T03:00:14Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/250-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAnálise do discursopt_BR
dc.subjectMemóriapt_BR
dc.subjectIdentidadept_BR
dc.subjectEnunciadopt_BR
dc.subjectFeminismopt_BR
dc.title"Meu corpo, minhas regras": uma análise do discurso feminista na internetpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/6981609595879671pt_BR
dc.contributor.referee1Costa, Robson Santos-
dc.contributor.referee2Guedes, Vania Lisboa da Silveira-
dc.description.resumoAs mulheres, em diversos momentos da história ocidental, lutaram contra sua condição de opressão, ainda que de forma isolada. O feminismo surgiu como um movimento organizado por volta dos séculos XVIII e XIX, inicialmente com a intenção de conquista de direitos políticos e de oportunidade de trabalho. Com o decorrer da história e do desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação as ideias feministas puderam ser transmitidas a um numero maior de pessoas. Através do discurso e utilizando-se de redes de memória e identidade, o feminismo busca cooptar cada vez mais adeptos. A web e, especialmente, as redes sociais contribuem sobremaneira pra expansão do feminismo, pela capacidade de atingir um grande público. A pesquisa objetiva a resposta de como se dá essas relações entre ideologia e identidade nas publicações feministas da web. Assim como busca evidenciar a relação dialógica e responsiva entre os enunciados imagéticos publicizados e, dessa forma, estabelecer a relação entre memória e identidade nesse contexto. A metodologia utilizada para alcançar os objetivos propostos foi qualitativa, alinhado aos conceitos de ideologia, discurso e linguagem trabalhados por Mikhail Bakhtin, evocando as relações de memória e identidade vistas com Michael Pollak, entre outros. A coleta de dados foi realizada por meio da pesquisa exploratória, e a partir dessa coleta foi realizada a análise do discurso à luz dos conceitos apresentados. A análise e os resultados obtidos evidenciaram as relações dialógicas, responsivas e de transmissão de discurso que resultam das ferramentas oferecidas pelo mundo virtual. Percebeu-se também que a evocação da memória social é necessária para criar o processo identitário com o feminismo no receptor do enunciado. Por fim, conclui-se que o discurso feminista na web pretende alcançar, além de direitos políticos, a internalização de que as mulheres possuem força e autonomia para provocar a mudança social necessária a fim de romper com a ideologia dominante machista.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Administração e Ciências Contábeispt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO::BIBLIOTECONOMIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Aparece nas coleções:Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC2_Sylvia-final.pdf805,63 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.