Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4169
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Caracterização de Folhelhos como Rochas Selantes
Autor(es)/Inventor(es): Figueira, André Gustavo Beer de Andrade
Orientador: Abreu, Carlos Jorge de
Resumo: A capacidade de uma rocha agir como barreira à migração dos hidrocarbonetos é fundamental na configuração de uma trapa. São discutidos os mecanismos que controlam a eficiência da rocha selante em servir como barreira à migração e reter hidrocarbonetos. A pressão capilar medida através de ensaios de injeção de mercúrio em laboratório permite uma correlação com a pressão capilar em que ocorre a invasão do hidrocarboneto através dos poros da rocha selante. Essa pressão capilar pode agir como limitadora da quantidade de hidrocarboneto que pode ser retida abaixo da rocha selante. A partir de determinada espessura da coluna de hidrocarbonetos abaixo do selante a pressão de boiabilidade dos hidrocarbonetos excederia a pressão capilar, passando o selante a constituir então um meio de migração, perdendo sua capacidade de rocha capeadora. Outras formas de limitação de selantes podem ser avaliadas, como a presença de falhas, fraturas e outras heterogeneidades. As rochas com características mais dúcteis tem menor propensão à formação de fraturas, o que lhes confere boas características como selante, pois as fraturas tendem a aumentar a permeabilidade, ocasionando o vazamento de hidrocarbonetos através da rocha selante. A correlação de ensaios de compressão e condições de tensão em subsuperfície, permite predizer situações em que a integridade da rocha selante estaria comprometida. Neste trabalho foram analisadas duas amostras de folhelhos ricos em matéria orgânica das formações Irati e Ponta Grossa na Bacia do Paraná. Os resultados de testes de pressão capilar de injeção de mercúrio e os ensaios de compressão, foram analisados e comparados aos dados texturais e composicionais obtidos a partir da análise de lâminas delgadas, difratometria de raios-X e microscopia eletrônica de varredura. A amostra da Formação Ponta Grossa apresentou boa qualidade tanto em ensaios de pressão capilar quanto de compressão, demonstrando ser um bom selante. A amostra da Formação Irati embora tenha apresentado boas características quanto à pressão capilar, a sua propensão ao fraturamento constitui um fator de risco.
Palavras-chave: Folhelhos
Bacia do Paraná
Formação Irati
Formação Ponta Grossa
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::SEDIMENTOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 2004
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4169
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FIGUEIRA, A.G.B.A.pdf1,83 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.