Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4191
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Os trabalhadores vão à escola: o curso noturno da Escola Municipal de São Sebastião (Rio de Janeiro, 1889-1893)
Autor(es)/Inventor(es): Oliveira, Aline Cristina Chaves de
Orientador: Rizzini, Irma
Resumo: Investiga o movimento de criação de cursos noturnos na cidade do Rio de Janeiro, especificamente, a presença dos pequenos trabalhadores na Escola Municipal de São Sebastião, fundada em 1872 pelo Governo Imperial. A pesquisa abarca o período do pós-abolição e vai até 1893, último ano do registro de alunos no livro de matrículas do curso noturno da escola, fonte disponível no Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. A escola estava localizada em frente à Praça Onze, na Freguesia de Santana, um dos locais com o maior quantitativo de moradias de populares e trabalhadores, contando, nas últimas décadas dos Oitocentos, com altos índices de matrículas nas escolas públicas primárias. Trata-se de espaço urbano que foi palco de investidas de políticas educacionais, assistenciais, sanitárias e higienistas, sob a égide da civilização, do progresso e da modernidade, em franca tensão com elementos sociais então identificados com a pobreza, a escravidão e a desordem. A historiografia sobre a Freguesia de Santana indica que a região estava marcada pela presença e pela cultura dos descendentes de escravos e africanos que ali residiam (ABREU, 1999; MAGALHÃES, 2001). Pelo quantitativo de alunos matriculados, a partir dos 10 anos de idade, é possível perceber que o curso noturno recebeu um importante contingente de alunos, o que nos permite levantar a hipótese de que os jovens trabalhadores, dedicados a ofícios e ocupações diversas, recorriam às aulas noturnas para se instruírem nas primeiras letras. Desde as últimas décadas do século XIX, os cursos noturnos tinham frequência avultada de pequenos e jovens trabalhadores, nacionais e estrangeiros, negros livres e libertos. É possível indicar, por meio da historiografia (COSTA, 2007; MARTINEZ, 1997; RIZZINI, SCHUELER, 2016) e pela análise do livro de matrículas do curso noturno da Escola São Sebastião, a heterogeneidade dos trabalhadores que procuravam se instruir, após o horário de trabalho, em termos de atividade exercida e geração.
Palavras-chave: Ensino fundamental
Escola noturna
Escolarização
Rio de Janeiro (RJ)
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::FUNDAMENTOS DA EDUCACAO::HISTORIA DA EDUCACAO
Departamento: Faculdade de Educação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Set-2016
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: OLIVEIRA, Aline Cristina Chaves de. Os trabalhadores vão à escola: o curso noturno da Escola Municipal de São Sebastião. 2016. 53 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Pedagogia) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.
URI: http://hdl.handle.net/11422/4191
Aparece nas coleções:Pedagogia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ACCOliveira.pdf633,11 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.