Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4196
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Análise da dinâmica sedimentar do material de fundo do estuário do rio Itajaí-Açu (SC) com base em modelos de tendência de transporte
Autor(es)/Inventor(es): Gomes, Carolina Lyra da Silva
Orientador: Almeida, Leonardo Fonseca Borghi de
Coorientador: Carneiro, Juliane Castro
Resumo: Estuários são ambientes aquáticos de transição entre rios e o mar e sofrem influência das marés. Além disso, apresentam fortes gradientes ambientais, desde águas doces próximos de suas cabeceiras, águas salobras e águas marinhas próximo de suas desembocaduras. Há várias formas de estuários, determinadas não só pela geomorfologia da costa, mas também pelas características do(s) rio(s) e das massas de água oceânicas que ali se encontram. São feições efêmeras do ponto de vista geológico, pois são áreas de deposição sedimentar, e sua morfologia, no geral, reflete as características das principais forçantes que nelas atuam. Cerca de 60% de todas as grandes cidades se desenvolveram ao redor de estuário. Neste contexto, o Complexo Estuarino de Itajaí está localizado no litoral norte do estado de Santa Catarina, aproximadamente a 80 km ao norte de Florianópolis, na margem direita do rio Itajaí-Açu. Nele se instalam seis terminais privados e um Porto Público que compõem o Complexo Portuário de Itajaí, sendo assim, considerada a região de maior desembarque pesqueiro do Brasil e a principal via do comércio marítimo do estado. Outra importante atividade que vem se desenvolvendo na região desde o início dos anos 90, mais especificamente ao norte da desembocadura do estuário na Enseada da Armação do Itapocoroyé, é a maricultura. O local concentra grande parte do cultivo de moluscos, colocando o país na segunda posição na América Latina como grande produtor. Este trabalho pretende contribuir com os estudos de análise ambiental da região, para então melhorar e organizar o funcionamento da atividade antrópica no porto, aumentando a produtividade e reduzindo custos e mantendo o controle das atividades, para que não venham a causar agressões a geodiversidade local. Foram realizadas análises granulométricas de 69 amostras coletadas na região, dispostas em duas malhas: uma na desembocadura do estuário e outra a aproximadamente 4,5km da foz, e obtenção dos parâmetros estatísticos de cada amostra. Estes foram empregados como dados de entrada no programa GiSedTrend, permitindo obter um padrão geral de transporte líquido dos sedimentos da área de estudo, de acordo com três diferentes modelos principais (Mc Laren, 1981, Gao & Collins, 1991 e Le Roux, 1994), definindo o modelo de Mc Laren, 1981 como o mais indicado para região, demonstrando assim o fluxo principal de vazante no canal.
Palavras-chave: Estuário
Sedimento
Sedimentologia
Transporte
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Mai-2018
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4196
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GOMES, C.L.S.pdf8,38 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.