Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/4283
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorPires, Fernando Roberto Mendes-
dc.contributor.authorSilva, Liliane Ferreira da-
dc.date.accessioned2018-07-10T14:09:57Z-
dc.date.available2018-07-12T03:00:17Z-
dc.date.issued2008-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/4283-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAqüíferopt_BR
dc.subjectGeoquímicapt_BR
dc.subjectCatieté, Bahiapt_BR
dc.titleEstudo do Aqüífero Localizado na Área do Complexo Mírero-Indústrial (URA/INB) de Caetité, Bahiapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3798480220666153pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Somões Filho, Francisco Fernando Lamego-
dc.contributor.referee1Baptista Filho, João-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8733204467847353pt_BR
dc.contributor.referee2Moura, Jorge Costa de-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/7531284404302852pt_BR
dc.description.resumoA presente monografia tem por objetivo apresentar uma contribuição ao estudo do aqüífero existente na área da Mina Cachoeira (anomalia 13), Distrito Uranífero de Lagoa Real, localizado na cidade de Caetité, Bahia, região nordeste do Brasil. O trabalho ora realizado enfoca a determinação da estrutura do aqüífero e sua condição de armazenamento de água. Essa determinação estrutural foi realizada a partir de levantamento geológico de campo e interpretação de dados geoquímicos das águas de poços existentes na região da mineração. Resultados preliminares indicam um sistema aqüífero fissural aberto, combinado com porosidade cárstica localizada, de alta permeabilidade e pouca retenção de água. A composição do Na e Cl nos poços, mostram adição entre janeiro de 1998 e setembro de 1998, interpretado como antrópica e possivelmente atribuída a construção de uma barragem no local. A dispersão desses elementos nos poços reforça a hipótese da intercomunicação do aqüífero. A distribuição do Ba sugere comportamento normal, dentro dos limites de solubilidade (constante do produto de solubilidade para sulfato de bário é 1,o x 10-10Kps). No caso do SO4 existem indícios de incrementos ao longo do tempo. A presipitação de Barita (e/ou Whiterita em zonas castiças)controla o comportamento do bário. A distribuição do pH (próxima da neutralidade) indica diluição dos íons, reforçando a hipótese de aqüífero aberto.topos de Ra (226Ra e 228Ra) apresentam-se abaixo do produto de solubilidade em razão da precipitação de sulfato e carbonato de rádio. Dados de perfuração mostram que falhas e fraturas abertas, geradas no plano de acamamento do gnaisse são conectadas por fraturas subhorizontais que são o principal meio de comunicação da água que percola o sistema. As fraturas sub-horizontais foram observados a profundidades de até 90 metros. Dados geoquímicos indicam ainda que existe uma vulnerabilidade ambiental , porque a água que infiltra no aqüífero rapidamente se perde para fora do ambiente da mineração, fazendo com que, em caso de acidentes com vazamento, a poluição extrapole os limites da mineração podendo poluir a água a jusante da mineração.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SILVA, L.F.pdf2.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.