Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4518
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Determinação das formas de arsênio em amostras de óleo cru utilizando a técnica de espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado
Autor(es)/Inventor(es): Gioia, Raísa Rodrigues
Orientador: Pontes, Fernanda Veronesi Marinho
Coorientador: Carneiro, Manuel Castro
Resumo: O termo petróleo e seus derivados compreende o óleo cru e suas frações obtidas por destilação, extração com solvente ou filtração; gás natural e gás natural condensado e produtos finais como combustíveis e óleos lubrificantes. A composição química dos petróleos e suas propriedades físicas apresentam uma grande variação. No geral, sua composição consiste de uma mistura de hidrocarbonetos (parafínicos, naftênicos e aromáticos) com certa quantidade de metais e metalóides. Os metais mais abundantes no petróleo são níquel (Ni), vanádio (V) e ferro (Fe), e estão presentes em concentrações que variam entre 10 ppm e 1000 ppm. Outros elementos, como chumbo (Pb), bário (Ba), estanho (Sn), prata (Ag), cobalto (Co), cobre (Cu), molibdênio (Mo), titânio (Ti) e zinco (Zn) estão presentes em concentrações que variam entre 1 ppm e 50 ppm. Além destes, estão presentes também mercúrio (Hg) e arsênio (As) em concentrações menores Os metais e metalóides presentes no petróleo muitas vezes influenciam negativamente o desempenho dos produtos e também o processo de refino do petróleo. Arsênio (As) é um desses possíveis metalóides presentes na composição do petróleo. Ele apresenta alta toxicidade, contribui para o envenenamento de alguns catalisadores utilizados nos processos de refino e também diminui a estabilidade térmica dos produtos derivados do petróleo devido à sua participação em reações de oxidação. Muitas técnicas já foram estudadas para a especiação de As em diversas matrizes. Essas técnicas podem envolver ou não um pré-tratamento da amostra. No petróleo, no entanto, poucos estudos foram realizados para a especiação de As. O presente trabalho apresenta um estudo sobre a especiação operacional de As em petróleo (ou óleo cru). A técnica de espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS) foi utilizada para a quantificação de As total (AsT) na amostra in natura e nas suas frações dissolvida, particulada e volátil. Um sistema de alta pressão e temperatura (HPA-S) foi utilizado para a decomposição da amostra. Os parâmetros instrumentais do HPAS foram otimizados, e as concentrações de carbono residual total em todos os testes foram sempre ≤ 0,30% m/m. As frações dissolvida e particulada foram obtidas através da filtração da amostra in natura, e a fração volátil a partir do borbulhamento de ar. Na fração dissolvida também foi realizada uma extração com ácido acético (CH3COOH) para a determinação de As inorgânico. Arsênio orgânico foi determinado pela diferença de As total na fração dissolvida e As inorgânico. Os limites de detecção e quantificação foram de 0,02 µg L-1 e 0,06 µg L-1, respectivamente. A repetibilidade para a determinação de AsT na amostra in natura foi considerada satisfatória (RSD = 9,9%, n = 5). Duas amostras de petróleo foram analisadas. A soma das concentrações de AsP + AsD + AsV foram semelhantes às concentrações determinadas de AsT para ambas as amostras (teste t, nível de confiança de 95%).
Palavras-chave: Arsênio
Óleo cru
Espectrometria de massa
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICA::METODOS OTICOS DE ANALISE
Departamento: Instituto de Química
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 2016
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4518
Aparece nas coleções:Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC_Versão Final-min.pdf480,86 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.