Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4606
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Desenvolvimento de sistemas associativos de micelas longadas para recuperação avançada de petróleo
Autor(es)/Inventor(es): Pires, Araceli de Sousa
Orientador: Rodrigues Junior, Jorge de Almeida
Resumo: Existe uma busca constante por métodos, técnicas e materiais que proporcionem um aumento na produção dos campos petrolíferos, visto que atualmente a quantidade de óleo extraído fica em torno de 35% do total existente no reservatório. Com frequência, são injetadas soluções aquosas cujos principais aditivos são os tensoativos e os polímeros. Enquanto estes atuam na redução da tensão interfacial água/óleo, aqueles são capazes de aumentar a viscosidade do fluido. Melhorando assim as eficiências de deslocamento e varrido, respectivamente. A proposta central deste trabalho consistiu na síntese de surfactantes de baixo custo capazes de formar micelas alongadas em meio aquoso, com potencial tanto para ampliar a eficiência de varrido quanto de deslocamento. Para tal, desenvolveu-se uma rota a partir da borra ácida proveniente do refino da produção de óleos vegetais. De modo a potencializar a atuação das micelas alongadas formadas, foram também desenvolvidas nanopartículas com segmentos termossensíveis, com capacidade de interagir com o interior das micelas alongadas em temperatura crescente. A partir de borras ácidas dos óleos de soja, coco, palma e mamona, cada uma separadamente, sintetizou-se uma mistura de alquilamidossulfobetaínas, caracterizadas pelas técnicas de RMN¹H e FTIR. Um conjunto de copolímeros contendo grupamentos amino terminais foi cationizado, para posterior acoplamento em nanopartículas de sílica. Diversos estudos foram realizados; estabilidade das nanopartículas preparadas, por medição do potencial zeta; ensaios reológicos dos surfactantes em meio aquoso, a fim de avaliar e comparar o comportamento de cada produto em função de diferentes variáveis. Foi obtido um sistema com comportamento pseudoplástico pronunciado mesmo em concentração de 0,25% m/v, o qual foi submetido a testes específicos para EOR, tais como: deslocamento de óleo em meio poroso, para avaliar o caráter tensoativo e viscosificante; degradação mecânica por cisalhamento em capilar, a fim de verificar o efeito autorregenerativo das micelas. Ao mesmo tempo, fluidos comerciais foram submetidos aos mesmos testes, os dados obtidos foram então comparados. Os resultados encontrados mostraram que os aditivos desenvolvidos apresentam de fato grande potencial de aumento da eficiência de varrido e de deslocamento, mesmo em baixas concentrações. Além disso, o aproveitamento da borra para obtenção dos tensoativos deverá agregar valor à cadeia produtiva dos óleos vegetais no Brasil. Nesse sentido, sistemas contendo micelas alongadas e nanopartículas possuem excelentes perspectivas tanto acadêmicas quanto de aplicação.
Palavras-chave: Reologia
Petróleo
Copolímeros termossensíveis
Nanopartículas
Micelas alongadas
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ORGANICA
Departamento: Instituto de Química
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 2015
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4606
Aparece nas coleções:Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Monografia Araceli Pires 2015.02-min.pdf1,99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.