Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/4656
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorReis Neto, Synval de Sant'Anna-
dc.contributor.authorImpronta, Rosemary de Fátima Turque-
dc.date.accessioned2018-08-24T16:54:06Z-
dc.date.available2018-08-26T03:00:15Z-
dc.date.issued2009-06-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/4656-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectIdentidade culturalpt_BR
dc.subjectHistória do Brasilpt_BR
dc.subjectMuseuspt_BR
dc.titleA participação dos museus na formação histórica e cultural e na construção identitária do cidadão brasileiropt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7304735450135812pt_BR
dc.description.resumoReflexão sobre a participação dos museus na formação história e identitária do povo brasileiro e disserta em seus capítulos sobre as noções de pátria e de nação e os elementos identificadores da nacionalidade do indivíduo. Tem desenvolvido também as formas, ou a forma, de povoamento e de governo que nos diferem ou nos assemelham com outros povos e seus reflexos na formação da sociedade atual. As origens da sociedade brasileira e seus desmembramentos até a concepção de povo brasileiro que temos hoje são trabalhadas de forma a destacar a múltipla herança racial da nossa população, que se difere ou se assemelha, com outros povos de outras nações no mundo e o que essa miscigenação pode influir no reconhecimento de nossa história e cultura e na nossa formação identitária. Assim como o caráter de obra criadora originalmente negra de nosso povo, que difere das origens americanas do norte e da maioria dos países da América do Sul, perde-se na valoração ainda tardia das riquezas culturais e históricas dos brasileiros. O relativismo cultural também existente nas diversas esferas de nossa sociedade nos ajuda a compreender ou a refutar a concepção do que seja cultura em nosso relacionamento familiar e social. Para a maioria dos teóricos o fato de nossa cultura ser abstrata dificulta, como a música e as festas nacionais e regionais, e fragmenta a nossa identidade cultural, haja vista os viéses e a estrutura governamental, da colonização até os dias atuais, e as práticas educacionais utilizadas através de décadas na formação intelectual do povo brasileiro. Trata, este trabalho também a 4 forma como cada cidadão como unidade de sua família ou cada sociedade a que pertença lida com a herança cultural de seus ascendentes. A relação da língua brasileira com a cultura e a identidade dos brasileiros e como a evolução da escrita e da fala foi absorvida ou desenvolvida pela população, não só através dos signos utilizados e de estudo sobre a herança cultural de outros povos, mas também, da exposição de números obtidos através de anos de pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística são trabalhados de forma a embasar nosso entendimento. A participação das unidades de ensino e o reconhecimento dos museus como entidades voltadas para a educação tendo como indicadores 144 (cento e quarenta e quatro) alunos dos níveis fundamental, médio e superior de algumas unidades de ensino da zona sul do Rio de Janeiro fortaleceram a ideia da importância dos museus como participante da formação histórica e cultural e na construção identitária do cidadão brasileiro.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Administração e Ciências Contábeispt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE SETORES ESPECIFICOSpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RFTImpronta.pdf586,63 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.