Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4776
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Mapeamento geológico, petrografia, geoquímica e implicação tectônica do ortognaisse Trondhjemítico Resende Costa, estado de Minas Gerais
Autor(es)/Inventor(es): Souza, Victor Hugo Proença
Orientador: Ávila, Ciro Alexandre
Coorientador: Bongiolo, Everton Marques
Resumo: A região estudada está inserida na borda meridional do cráton São Francisco, cuja evolução tem sido tradicionalmente explicada pela convergência de placas tectônicas e formação de arcos magmáticos durante o riaciano. Porém, um arco magmático de idade sideriana foi caracterizado recentemente, sendo o mesmo tipificado pelas rochas da suíte TTG Lagoa Dourada. Associada a este contexto foi identificado um novo corpo desta suíte, representado pelo ortognaisse trondhjemítico Resende Costa. De modo geral, além do ortognaisse trondhjemítico Resende Costa, a região mapeada é composta pelo ortognaisse tonalítico Ramos; por um pacote de rochas anfibolíticas intercaladas com rochas metassedimentares, sendo ambos agrupados no greenstone belt Rio das Mortes; por corpos intrusivos no referido greenstone belt. tipificados pelos gnaisse granodiorítico e granitóide Ritápolis e por diques de diabásio que cortam todas as unidades supracitadas. O estudo faciológico/textural do ortognaisse trondhjemítico Resende Costa possibilitou a separação de suas rochas em duas diferentes fácies texturais (fina/média e média/grossa). Em relação à petrografia, suas rochas correspondem a tonalitos hololeucocráticos constituídos por quartzo, plagioclásio, biotita1, microclina1, apatita, allanita, minerais opacos, rutilo, titanita1, zircão, epidoto1, epidoto2, zoisita/clinozoisita, titanita2, titanita3, muscovita, biotita2, carbonatos, microclina2 e sericita. Quimicamente, são rochas trondhjemíticas, peraluminosas, que se alinham ao longo do trend de diferenciação trondhjemítico, mostram enriquecimento relativo de ETRL em relação a ETRP, plotam no campo dos trondhjemitos de alto Al2O3 e no campo dos granitóides de arco vulcânico. Apresentam idade de cristalização U-Pb (LA-IPCMS) em zircão de 2.358±10 Ma, idade TDM de 2,5Ga e ƐNd de +1,6, indicando a participação de uma fonte juvenil paleoproterozóica com pouco tempo de residência crustal. Seus dados geoquímicos, geocronológicos e isotópicos apontam para um modelo genético baseado na fusão parcial de uma crosta oceânica subductada, que foi metamorfisada e fundida, gerando um magma que evoluiu por cristalização fracionada de plagioclásio e hornblenda, principalmente. As rochas do ortognaisse trondhjemítico Resende Costa possuem poucas relações de campo com os outros litótipos mapeados, sendo a geocronologia de fundamental importância para o seu posicionamento estratigráfico. Dessa forma, a idade de cristalização de 2.358±10 Ma é crucial para estabelecer esta unidade como a mais antiga da área mapeada (excetuando-se o ortognaisse tonalítico Ramos), já que as outras unidades estão associadas à evolução riaciana do cinturão Mineiro.
Palavras-chave: Ortognaisse
Trondhjemito
Petrografia
Geoquímica
Sideriano
Cinturão Mineiro
Cráton São Francisco
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Fev-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4776
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SOUZA, V.H.P.pdf12,93 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.