Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4940
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: A propagação do mito do desenvolvimento pela linguagem do jornalismo econômico dos três principais jornais do país
Autor(es)/Inventor(es): Silva, Rafaela Marinho
Orientador: Braga, William Dias
Resumo: Investiga de que forma a economia brasileira é noticiada pelos três principais jornais em circulação no Brasil. Para isso, a pesquisa analisou a linguagem, os textos e os recursos gráficos utilizados nas reportagens dos cadernos de economia de O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e O Globo nos dias em que foram divulgados diferentes resultados do índice de Produto Interno Bruto (PIB) do país, nos meses de agosto e dezembro de 2013 e agosto de 2014, bem como analisou, também, reportagens correspondentes à data em que um resultado do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) foi noticiado em julho de 2014. As coberturas de ambos os índices foram escolhidas para o estudo porque demonstram a relevância que o jornalismo econômico brasileiro das grandes mídias tem dado, atualmente, ao índice econômico em detrimento do índice humano, para, dessa forma, comunicar um estágio de desenvolvimento do país. Ao prestigiar mais um índice do que o outro é possível conferir como o jornalismo econômico propaga a teoria do mito do desenvolvimento, preconizada pelo economista brasileiro Celso Furtado, segundo o qual taxas positivas e altas de crescimento da economia não são os fatores definidores e únicos da evolução do país. Há de se levar em consideração outras dimensões sociais e históricas fundamentais para qualidade de vida da população brasileira e a busca pelo desenvolvimento sustentável. Além disso, esta pesquisa pretende compreender como essa ideologia de sacralização do crescimento econômico, praticada pelos principais jornais do país, pode ser reforçada ou enfraquecida pela linguagem que eles utilizam para falar sobre economia. A linguagem hermética, comum ao meio especializado, tende a reforçar outro mito: o de que notícias econômicas são inteligivelmente complexas ou desinteressantes para leigos no assunto. Ao manter o assunto restrito aos especializados, perpetua-se uma concentração de discurso e de informação que não favorece o pleno desenvolvimento do país. Adicionalmente, a pesquisa visa a ressaltar a importância do ensino de economia e do jornalismo econômico nas escolas universitárias de jornalismo, para que haja uma ruptura nos aspectos perpetuadores desses dois mitos desde o início da produção jornalística, que reside na formação crítica dos futuros profissionais e também para que os próprios alunos não se sintam repelidos por essa área profissional somente por falta de conhecimento.
Palavras-chave: Desenvolvimento econômico
Economia brasileira
Linguagem jornalística
Análise do discurso
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 12-Dez-2014
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: SILVA, Rafaela Marinho. A propagação do mito do desenvolvimento pela linguagem do jornalismo econômico dos três principais jornais do país. 2014. 116 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Jornalismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.
URI: http://hdl.handle.net/11422/4940
Aparece nas coleções:Comunicação - Jornalismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RSilva.pdf3,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.