Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4971
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: O uso do radar de penetração no solo (GPR) em estudo de afloramento carbonático do membro crato da formação santana na Bacia do Araripe Ceará (CE) - Brasil
Autor(es)/Inventor(es): Silva, Arthur de Melo Said Fabião Moreira da
Orientador: Dias, Gleide Alencar Nascimento
Resumo: O objetivo desse estudo foi a identificação de carbonatos através do método Radar de Penetração no Solo (GPR) em um afloramento com rochas de calcário laminado localizado na pedreira Mina Pedra Branca de Nova Olinda na estrada que une as cidades de Juazeiro do Norte e Nova Olinda, no Estado do Ceará, Brasil. O afloramento se encontra na Bacia do Araripe na Formação Santana, Membro Crato (singular pelo calcário laminado e seu conteúdo fossilífero). Este possui aproximadamente 14 m de altura, composto do topo para a base de: solo, calcário laminado, marga com pequenos níveis de calcário laminado, calcário laminado com a parte superior intemperizado. O GPR é um método geofísico que utiliza ondas eletromagnéticas os quais se propagam em subsuperfície afim de imagear estruturas geológicas, litologia, compartimentação pedológicas, corpos e etc. Uma linha de aquisição de dados GPR com 67 m foi obtida acima do afloramento a 8 m do mesmo. O equipamento utilizado para a aquisição foi RAMAC/GPR da MALA GeoScience com antena biestática de 50 MHz, não blindada cujo o modo de aquisição dos dados foi common-offset. O espaçamento inicial das antenas foi de 2 metros e o espaçamento continuo de 1 m. O processamento e interpretação dos dados foram realizados no programa de REFLEXW – Interpex, cujas etapas do processamento foram: ajuste do tempo zero, dewow, remove background, filtro passa-banda, ganho, migração 2d. A interpretação consistiu após o processamento dos dados, onde foi possível identificar 3 hipérbolas, uma no lado esquerdo da seção radargrama com velocidade de 0,22 m/ns, outra no centro da seção com velocidade de 0,14 m/ns e por fim uma do lado direito com velocidade de 0,13 m/ns. A hipérbole com alta velocidade é aferida a ruídos externos associado à propagação da onda em superfície, e as demais hipérboles estão associadas a artefatos do meio geológico. Na seção radargrama foi possível identificar um refletor mais forte referente à interface do calcário laminado intemperizado com o calcário menos alterado a aproximadamente 6 m de profundidade, correspondente a uma velocidade de propagação da onda no meio de 0,07m/ns. Pode-se observar que o método GPR fornece uma boa resposta para sua utilização em carbonatos.
Palavras-chave: GPR (Ground Penetration Radar)
Carbonato
Membro Crato
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Ago-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4971
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SILVA, A.M.S.F.M.pdf729,71 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.