Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5112
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: O Estado de Bem-estar social britânico no período 1970-2005: fatos e versões
Autor(es)/Inventor(es): Cardeiro, Ana Carolina Coelho
Orientador: Lavinas, Lena
Resumo: O Reino Unido foi a origem do Estado de Bem-estar social surgido após o final da Segunda Guerra Mundial, os efeitos brutais da guerra sobre a organização econônomica e a qualidade de vida da população fez surgir a necessidade de criação de um sistema de proteção social que assegurasse a estabilidade das condições de vida dos cidadãos. Lá também, as idéias de Beveridge sobre a ação do Governo na provisão de serviços públicos ganharam destaque e orientaram a execução de políticas públicas pelos trinta anos seguintes. No contexto de recessão e transformações econômicas intensas da década de 70, começaram a ganhar destaque questionamentos sobre a eficiência dos gastos públicos com o bem-estar social e discussões acerca da capacidade dos benefícios sociais de desincentivarem o trabalho e a autonomia. O governo conservador de Margareth Thatcher eleito em 79, buscou usar as politicas públicas como ferramentas para adaptar a sociedade britânica ao novo dinamismo econônomico dos anos 70 diante da crescente globalização do mercado. O Governo Conservador destacou-se pela introdução de mecanimos de mercado aos setores sociais em que a atuação do Estado se realizava de forma ativa como, por exemplo, a educação, a saúde e a seguridade social. Para colocar em prática o projeto liberal do Partido, o Governo promoveu transformações políticas que ampliaram sua capacidade de ação através da centralização do poder pelo Governo Central e de novas medidas legislativas que limitavam a influência de outras instituições sociais. Como resultado do novo modelo criado pelo Governo Conservador, o Reino Unido sofreu um aprofundamento da desigualdade de renda e o crescimento da exclusão de grupos mais vulneráveis à pobreza e à falta de oportunidades de ascensão social. Diante desse cenário, o Partido Trabalhista foi eleito e logo tratou de desenvolver politicas para conter essa situação. Blair optou por focalizar a ação sobre os grupos mais impactados pelas diferenças sociais e usou um discurso que apresentava a “igualdade de oportunidades” como a grande meta a ser atingida. Seguindo essa orientação, o Governo Blair dedicou atenção especial à políticas direcionadas à infância. Contudo, Blair não abandonou a idéia de focalização de beneficios sociais e de controle de gastos. Ele se apoiou sobre a ideologia da Terceira Via para defender esse modelo de gestão pública. Como resultado, observou-se melhorias em diversos indicadores sociais, dentre eles a redução da pobreza absoluta. Entretando, o direcionamento de políticas a grupos sociais especificos gerou uma crescente preocupação pelo futuro da parte da população que não é beneficiada por não se encaixar nos padrões de classificação que delimitam os grupos elegíveis.
Palavras-chave: Bem-estar social
Transformações políticas
Política social
Política pública
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA
Departamento: Instituto de Economia
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Ago-2009
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5112
Aparece nas coleções:Ciências Econômicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ACCCardeiro.pdf468,51 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.