Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5133
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMello, Claudio Limeira-
dc.contributor.authorPenha, Leonardo Loureiro-
dc.date.accessioned2018-09-25T17:09:45Z-
dc.date.available2018-09-27T03:00:17Z-
dc.date.issued2005-03-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5133-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectBacia de Taubatépt_BR
dc.subjectCorrelação Rocha-Perfilpt_BR
dc.titleCorrelação rocha-perfil em testemunho contínuo da Bacia de Taubaté (SP)pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8440044607836952pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Silva, Adalberto da-
dc.contributor.advisorCo1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0608686882314044pt_BR
dc.description.resumoEste trabalho faz parte do projeto de “Determinação das áreas–fontes para as argilas esmectíticas das bacias tafrogênicas do Rift Continental do Sudeste do Brasil” (LAGEMAR/ CENPES – PETROBRÁS). A Bacia de Taubaté está localizada na porção leste do Estado de São Paulo, ocupando o segmento central do Rift Continental do Sudeste do Brasil - RCSB (RICCOMINI, 1989), entre as cidades de Queluz e Itaquaquecetuba (SP). Para a realização deste estudo, foi efetuada uma sondagem de 220 m com testemunhagem contínua e perfilagem na mineradora Aligra-Indústria e Comércio de Argila Ltda. (Taubaté/SP), tendo como objetivo identificar as litofácies presentes e compará-las aos dados de perfilagem geofísica de poço. As rochas amostradas são típicas da Formação Tremembé, originalmente definida por ALMEIDA (1958), que corresponde, na concepção de RICCOMINI (1989), a um sistema lacustre do tipo ‘playa-lake’, de idade oligocênica, desenvolvido na porção central da Bacia de Taubaté e, de forma mais restrita, na Bacia de São Paulo. Na indústria do petróleo, a correlação rocha–perfil é amplamente utilizada. Neste trabalho, pretende-se utilizar integradamente a aquisição geofísica de poço e a amostragem contínua de rochas em subsuperfície, visando estabelecer um quadro evolutivo local para o Oligoceno da Bacia de Taubaté. A testemunhagem contínua da porção superior do espesso pacote argiloso da Formação Tremembé permitiu a classificação e análise da sucessão faciológica desta parte da bacia, e a definição de intervalos com assinaturas geofísicas particulares. A análise do conjunto de perfis geofísicos adquirido (Raios Gama, Resistividade por Indução e Sônico) indica uma melhor resposta dos dois primeiros perfis para a identificação dos pacotes pelíticos devido à pouca variabilidade da velocidade sônica. A integração da descrição geológica e de perfis permitiu o estabelecimento de alguns padrões ou assinaturas geofísicas para as principais fácies ocorrentes: Argilito maciço: RG variável e Resistividade mais alta que as fácies 2, 3, 4 e 6. Folhelho: RG mais baixo que o folhelho pirobetuminoso e Resistividade mais alta que o folhelho pirobetuminoso. Folhelho pirobetuminoso: RG alto (maior que todas as outras fácies) e Resistividade baixa (menor que todas as outras fácies). Argilito siltoso: RG mais baixo que o folhelho e Resistividade mais alta que o folhelho. Argilito maciço a laminado calcífero: RG baixo (menor que todas as outras fácies) e Resistividade alta (maior que todas as outras fácies). Em termos de evolução da bacia, é importante notar a ocorrência de estruturas típicas de exposição (gretas de contração) e de rochas papiráceas (pirobetuminosas), típicas de ambiente anóxico e de baixa energia, indicando variações eventuais da lâmina d’água desse paleo-lago durante a Época oligocênica que são identificáveis nos perfis geofísicos. Os resultados obtidos por este estudo fornecem subsídios relevantes à identificação de áreas fontes para os sedimentos das bacias marginais adjacentes ao RCSB (Bacias de Campos e Santos), bem como contribui no entendimento da gênese de pacotes argilosos semelhantes já identificados na Bacia de Campos. A aplicação destas informações na exploração e desenvolvimento podem auxiliar a exploração e desenvolvimento nesta bacia marginal.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PENHA, L.L.pdf3,93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.