Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5276
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCarvalho , Ismar de Souza-
dc.contributor.authorPassos, Hudson-
dc.date.accessioned2018-10-05T16:51:59Z-
dc.date.available2018-10-07T03:00:13Z-
dc.date.issued2009-12-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5276-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectPetrografiapt_BR
dc.subjectFormação Exupt_BR
dc.subjectBacia do Araripept_BR
dc.titleCaracterização Petrográfica da formação Exu, Bacia do Araripept_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2138654072839905pt_BR
dc.contributor.referee1Ribeiro, André-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0217055111543883pt_BR
dc.contributor.referee2Almeida, Leonardo Fonseca Borghi de-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5821487047888554pt_BR
dc.contributor.referee3Garcindo, Lucas Balsini-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/1429003360920641pt_BR
dc.description.resumoA Formação Exu representa a unidade litoestratigráfica mais nova da Bacia do Araripe. É composta por arenitos interpretados como depósitos de rios entrelaçados e meandrantes, cuja idade é possivelmente albiana-cenomaniana. O presente estudo foi conduzido com o objetivo de realizar uma análise petrográfica desta unidade, para o conhecimento dos aspectos relacionados à proveniência e à diagênese. Para a realização deste estudo foram executados trabalhos de campo, análises microscópicas de 16 amostras coletadas na área de estudo e contagem de pontos de 9 amostras mais representativas da unidade. A fração argilosa foi identificada com o método da difração de raios-X, o qual indicou uma predominância de caulinita nas amostras. Os arenitos Exu possuem baixa maturidade textural em função da presença de matriz argilosa, da pobre seleção granulométrica e do baixo grau de arredondamento. A maturidade mineralógica é alta, já que a rocha é composta em quase sua totalidade por quartzo. A análise da textura de grãos de quartzo policristalinos nessas amostras dá indicativos de contribuição predominante de rochas metamórficas provenientes do embasamento, como quartzitos, xistos e gnaisses. As características observadas nas amostras desta unidade sugerem que o soterramento e a compactação dos sedimentos foi fraca a moderada e as principais fases diagenéticas relacionadas à cimentação destes arenitos estão relacionadas ao campo da eodiagênese. A ocorrência significativa de caulinita nos arenitos da Formação Exu é uma característica marcante nestas rochas. Apesar da possibilidade de ter alguma pequena contribuição detrítica, as caulinitas mostram-se relacionadas a uma origem pós-deposicional ou diagenética. Foi possível identificar diferentes fases de alteração dos sedimentos durante a diagênese: bioturbação, infiltração mecânica de argila, precipitação de óxidos e hidróxidos de ferro e manganês, compactação mecânica, caulinita autigênica e geração de porosidade secundária.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PASSOS, H.pdf14.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.