Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5287
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRamos, Renato Rodriguez Cabral-
dc.contributor.authorSimbras, Felipe Medeiros-
dc.date.accessioned2018-10-08T13:44:42Z-
dc.date.available2018-10-10T03:00:16Z-
dc.date.issued2009-08-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5287-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectBacia Baurupt_BR
dc.subjectFormação Presidente Prudentept_BR
dc.subjectNeocampaniano-Eomaastrichtianopt_BR
dc.titleAnálise Estratigráfica do Intervalo Superior do Grupo Bauru (Cretáceo Superior) na Região de Alfredo Marcondes - SPpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/4557680514419881pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5374857922942300pt_BR
dc.contributor.referee1Mello, Claudio Limeira-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8440044607836952pt_BR
dc.contributor.referee2Duarte, Leonardo Morato-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2121822400504249pt_BR
dc.description.resumoA Bacia Bauru constitui uma depressão desenvolvida na parte centro-meridional da Plataforma Sul-Americana, formada por subsidência termo-mecânica no Cretáceo, após a ruptura do continente gondwânico e abertura do Oceano Atlântico. Na região sudoeste do estado de São Paulo, porção central desta bacia, existem quatro propostas estratigráficas. Uma destas mapeia as formações Caiuá, Santo Anastácio, Adamantina e Presidente Prudente. Aqui são reportados os resultados da análise estratigráfica das sucessões sedimentares do intervalo superior do Grupo Bauru na região de Alfredo Marcondes, inicialmente mapeada como Formação Adamantina, Cretáceo Superior. Para identificar o paleoambiente e a unidade estratigráfica foi feita a análise de elementos arquiteturais com perfis litofaciológicos e com painéis estratigráficos dos afloramentos levantados, além da análise petrográfica. As principais macroformas identificadas são a planície de inundação (OF), que alcança 10 metros de espessura em alguns locais, barra de acrescimento lateral (LA) e formas de leito arenoso (SB),o que possibilitou classificar o paleambiente como fluvial meandrante de alta sinuosidade. Estas rochas são aqui mapeadas como Formação Presidente Prudente, pois a ocorrência de espessos depósitos de planície de inundação, a interpretação paleodeposicional e a correlação dos depósitos se assemelham mais com esta unidade e não com a Formação Adamantina, proposta anterior nesta região. A idade da Formação Presidente Prudente é proposta aqui como Neocampaniano - Eomaastrichtiano com base na correlação com as formações Adamantina e Marília e com base na ocorrência de fósseis de saurópodes do grupo dos Aeolosaurini nestas unidades.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SIMBRAS, F.pdf8,65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.