Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5337
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Análise estrutural da Área de Dorândia, parte leste da Bacia de Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro
Autor(es)/Inventor(es): Destro, Rafael Ferreira
Orientador: Mello, Claudio Limeira
Coorientador: Negrão, André Pires
Resumo: A bacia sedimentar de Volta Redonda constitui-se de um hemi-gráben preenchido por rochas sedimentares e vulcânicas datadas do Paleógeno, e está inserida no contexto do Rifte Continental do Sudeste do Brasil. O embasamento das bacias inseridas no RCSB é representado pelo segmento central da Faixa Ribeira, composta por rochas proterozóicas e arqueanas, e apresentando densas tramas de zonas de cisalhamento dúcteis, orientadas segundo ENE a E-W. O primeiro modelo para a gênese e a evolução da parte central do RCSB foi elaborado por Riccomini (1989), que identificou a atuação de quatro regimes tectônicos, sendo o primeiro de idade paleogênica, natureza distensiva e orientado na direção NW-SE, gerando falhas normais, o segundo ocorrido no limite Oligoceno/Mioceno, com caráter transcorrente sinistral e direção E-W, o terceiro de idade plio-pleistocênica, com caráter transcorrente dextral de direção E-W, e o quarto de idade holocênica, de regime distensivo NW-SE. Negrão (2010) demonstrou ocorrências de sedimentos paleogênicos limitados por estruturas pré-cambrianas NE-SW fora dos domínios do gráben da Casa de Pedra e do setor norte da bacia de Volta Redonda, em mapeamento geológico a leste e a oeste do gráben da Casa de Pedra. O presente trabalho apresenta uma análise estrutural mais detalhada do domínio da área de Dorândia, a leste do Gráben da Casa de Pedra, feita a partir de medições sistemáticas de estruturas tectônicas rúpteis, como falhas e estrias, obtidas em campo, de reconstituições de fotomosaicos de afloramentos e da análise de lineamentos por sensoriamento remoto, traçados sobre imagens de satélite e fotografias aéreas. Foram reconhecidas, na região, falhas normais sintéticas e antitéticas em relação à borda tectônica a sul, e falhas transcorrentes dextrais e sinistrais, presentes nas rochas do embasamento e nas rochas sedimentares das formações Resende e Pinheiral. Estas estruturas relacionam-se aos três eventos tectônicos de caráter deformacional definidos por Sanson (2006) para a bacia de Volta Redonda: transcorrência sinistral E-W (TS), transcorrência dextral E-W (TD) e distensão final (E2). Os falhamentos gerados e/ou reativados em cada um destes regimes condicionou a estruturação das ocorrências sedimentares da área de estudo, compartimentando-as em manchas individualizadas tanto transversalmente em relação ao eixo NE-SW da bacia, através de estruturas de direção NW-SE, quanto longitudinalmente, na direção do eixo, através principalmente de falhas normais. A individualização da área de Dorândia como uma região de acumulação sedimentar deve-se às falhas de borda que a limitam, geradas na distensão inicial (E1).
Palavras-chave: Bacia de Volta Redonda
Área de Dorândia
Tectônica
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Out-2011
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5337
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DESTRO, R.F.pdf4,73 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.