Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5608
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Processamento químico de catalisadores gastos de unidade de Hidrodessulfurização Profunda (Ultra-Deep HDS)
Autor(es)/Inventor(es): Quintanilha, Carolina Leão
Orientador: Afonso, Júlio Carlos
Resumo: O hidrotratamento vem tornado-se uma das mais importantes aplicações da catálise. Neste tipo de técnica são empregados catalisadores de refino, usados principalmente para melhorar a eficiência das condições operacionais durante o processo. A tendência global atual tem sido elevar o rigor das legislações ambientais com respeito às emissões poluidoras, o que tem gerado um aumento da severidade das condições operacionais do HDT. Como resultado das novas regras, a tecnologia atual de catalisadores está levando a um grande encurtamento de suas vidas úteis, tornando a regenerabilidade cada vez mais difícil. A partir do conhecimento de que os catalisadores gastos de HDT podem ser pirofóricos, espontaneamente combustíveis e liberar gases tóxicos e, considerando que o teor de metais valiosos em suas composições pode ser, muitas vezes, maior do que os encontrados em fontes naturais, existe um interesse permanente na pesquisa de desenvolvimento de processos de reciclagem. O objetivo deste trabalho foi a avaliação das perspectivas de reciclagem da nova geração de catalisadores desativados em processos de hidrodessulfurização profunda (ultradeep HDS) empregando as tecnologias de processamento já desenvolvidas para amostras de gerações antigas, mantendo o foco em agregar valor a esse catalisador gasto como matéria prima para recuperação dos elementos presentes em sua formulação. As amostras foram pré-oxidadas (600º C, 12 h) para eliminação do coque e de compostos voláteis. O material calcinado foi previamente moído e dissolvido em ácido fluorídrico concentrado com adição de peróxido de hidrogênio como coadjuvante (50 % vol. em excesso de HF), por 2 h, a 90 °C, com agitação de 500 rpm. Adição de água destilada foi feita ao final do processo. O resíduo insolúvel foi separado da solução de lixívia. Molibdênio e vanádio foram separados através de extração por solvente com Alamina 304 em n-heptano em pH 1,5-2,0. O alumínio foi recuperado do rafinado por precipitação na forma do sal Na3AℓF6 com o ajuste do pH da solução em ~4. A remoção de níquel foi feita através de precipitação mediante adição de solução de NaOH até pH ~8. O flúor remanescente em solução foi recuperado como NaF em pH ~9 após evaporação lenta do solvente.
Palavras-chave: Catalisadores
Ultra-deep
Hidrotratamento
Coque
Recuperação de metais
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICA
CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA INORGANICA
Departamento: Instituto de Química
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 20-Abr-2018
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5608
Aparece nas coleções:Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC-Carolina-Leão-Quintanilha _2_.pdf3,12 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.