Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5981
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSeoane, José Carlos Sícoli-
dc.contributor.authorPrado, Eric Bernard Gonçalves-
dc.date.accessioned2018-12-13T10:54:36Z-
dc.date.available2018-12-15T02:00:10Z-
dc.date.issued2017-02-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5981-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectIOCG - Iron Oxide Copper Goldpt_BR
dc.subjectPetrografiapt_BR
dc.subjectMicrotectônicapt_BR
dc.subjectSalobopt_BR
dc.subjectCarajáspt_BR
dc.subjectDepósito Deformadopt_BR
dc.titlePetrografia, Calcografia e Microtectônica do depósito Salobo, Província Mineral de Carajás, Sudeste do Pará, Brasilpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5256359048551589pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8545699741999656pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Tavares, Felipe Mattos-
dc.contributor.advisorCo1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7069253568713697pt_BR
dc.contributor.referee1Araujo, Carlos Eduardo Ganade de-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5082464940811802pt_BR
dc.contributor.referee2Correa Neto, Atlas Vasconcelos-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/9514776985789216pt_BR
dc.description.resumoO depósito Salobo é um depósito do tipo Iron Oxide Copper Gold situado no cinturão cupro aurífero da Província Mineral de Carajás, sudeste do Pará. Situado ao longo do lineamento do cinzento de evolução polifásica, trata-se de o maior de depósito de Cu-Au de uma série de ocorrências similares na Província Carajás. As rochas hospedeiras da mineralização possuem idades meso- a neoarqueanas e já foram atribuídas a rochas metavulcanossedimentares do Sgr. Itacaíunas, como também gnaisses neoarqueanos Igarape Gelado e do complexo Xingu. Independentemente de sua natureza as rochas hospedeiras se encontram intensamente deformadas e apresentam vasta alteração hidrotermal. Os principais litotipos descritos são quartzogranada- magnetita-grunerita xisto, biotita-granada-quartzo xisto e ortognaisses, por vezes os litotipos estão tão alterados hidrotermalmente o que torna difícil o reconhecimento de sua natureza, sendo caracterizados como hidrotermalitos. Os hidrotermalitos apresentam duas gerações, uma apresenta minerais de mais alta temperatura deformados em regime dúctil a dúctilrúptil, já a outra minerais de mais baixa temperatura não deformados. No depósito ocorrem 3 famílias de estruturas (D1, D2 e D3) formadas diferentes níves crustais. D1 e D2 são associadas a metamorfismo regional e deformação dúctil a dúctil-rúptil, D3 a deformação francamente rúptil e hidrotermalismo. Também observou-se distintas petrotramas associadas a estas estruturas. As relações de corte e superposição para cada petrotrama remontam a uma história geológica de deformação polifásica. Foram identificados caracterizado dois episódios de mineralização de Cu (Pré-D1 e sin-D3) separados por uma trama formada em regime dúctil. As texturas reconhecidas para ambos episódios de mineralização são amplamente reconhecidas como formadas em regime rúptil sem relação genética com a trama dúctil. Dessa forma o ambiente em que se estabeleceu o depósito Salobo se aproxima da suma maioria dos depósitos IOCG pré-cambrianos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PRADO, E.B.G.pdf2,07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.