Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/6018
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Mapeamento geológico na região à oeste da Serra das Bicas, cidade de Carrancas, estado de Minas Gerais.
Autor(es)/Inventor(es): Azevedo, Thales Thiago Chagas Santos
Orientador: Ávila, Ciro Alexandre
Resumo: A evolução geológica da região de Carrancas envolve rochas do embasamento Arqueano - Paleoproterozóico e unidades metassedimentares neoproterozóicas da bacia Andrelândia. Para melhor compreensão dessa evolução geológica procurou-se a individualização geológica e a caracterização petrográfica dos corpos gnáissicos e de diversos corpos descontínuos de rochas metaultramáficas e anfibolíticas, que afloram na região a oeste da serra das Bicas, sul da cidade de Carrancas, estado de Minas Gerais. Neste contexto foi realizado o mapeamento geológico na escala de 1:12.500 de uma área de aproximadamente 60km2, além da caracterização mineralógica e petrográfica de rochas gnáissicas, metaultramáficas e anfibolíticas de vários pontos da área estudada, objetivando apontar as principais macroestruturas e microestruturas primárias, metamórficas e deformacionais, bem como as paragêneses metamórficas presentes nessas rochas. Ao fim buscou-se correlacionar os pulsos metamórficos regionais com aqueles caracterizados nos gnaisses, rochas metaultramáficas e anfibolíticas visando à inserção ou não dos mesmos na evolução Neoproterozóica da bacia Andrelândia. A área mapeada encontra-se inserida na klippe Carrancas, que é constituída pela megasequência Andrelândia que é dividida em duas sequências, denominada respectivamente da base para o topo de Carrancas e Serra do Turvo. A sequência Carrancas inclui quatro unidades metassedimentares neoproterozóicas, sendo estas da base para o topo representadas por: gnaisses com intercalações de anfibolitos e rochas metaultramáficas; quartzitos com muscovita esverdeada; cloritóide filitos que gradam para estaurolita xistos, ambos com intercalações de quartzitos e filitos grafitosos; e a última unidade corresponde a um biotita xisto. A Klippe Carrancas é uma estrutura regional formada durante a orogênese Brasiliana e nela podem ser reconhecidas três fases de deformação (D1, D2 e D3). A fase D1 gerou empurrões para sudeste, lineação de estiramento com caimento médio de 25 graus para sudeste e dobras apertadas com planos axiais de baixo mergulho para sudeste e eixo curvo. A fase D2 gerou dobras assimétricas fechadas até apertadas com vergência para noroeste, planos axiais com mergulho médio de 45 graus para sudoeste-sudeste e eixos de baixo caimento para sudoeste-sudeste. A fase D3 formou dobras abertas com planos axiais íngremes de traço norte-sul e eixos suaves para sul ou norte. As unidades gnássicas encontradas à oeste da serra das Bicas ao sul da cidade de Carrancas, apresentam características mineralógicas e texturais como granulação fina, bandamento caracterizado pela alternância de níveis quartzo feldspáticos e biotíticos, apresentam níveis com cristais de feldspato que podem ser porfiroblastos ou cristais reliquiares do protólito, índices de cor hololeucráticos a leucocrático, pegmatitos associados, bem como rochas metaultramáficas. As rochas metaultramáficas que ocorrem associadas com os gnaisses são representadas por serpentinitos, talcositos, talco xistos, clorititos, anfibolititos, clorita xisto e tremolita xisto. Os serpentinitos apresentam variações texturais, representado por rochas maciças com nódulos carbonáticos e rochas bandadas com níveis de serpentina, tremolita e talco. Os talcositos são representados por variedades maciças com pirita limonitizada, maciças com nódulos de talco, maciços com níveis ricos em magnetita e variedades foliadas. As rochas metamáficas que ocorrem associadas aos gnaisses são representadas por anfibolitos compostos essencialmente de hornblenda e plagioclásio, os quais variam texturalmente entre maciços e foliados. As rochas gnáissicas e metaultramáficas apresentam as fases de deformação D1, D2 e D3 descritas nas rochas metassedimentares da klippe Carrancas, corroborando a hipótese das mesmas estarem ligadas a evolução geológica da bacia Andrelândia.
Palavras-chave: Carrancas
Serra das Bicas
Rochas Metaultramáficas
Gnaisses
Petrografia
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jun-2010
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/6018
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AZEVEDO, T.T.C.S.pdf8,75 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.