Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/6065
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Avaliação da qualidade da água utilizada no tratamento de Hemodiálise
Author(s)/Inventor(s): Lira, Laila Toledo
Advisor: Vaitsman, Delmo Santiago
Abstract: Insuficiência Renal Crônica (IRC) é a perda lenta, progressiva e irreversível das funções renais. Um dos tratamentos disponíveis para a doença é a hemodiálise, responsável por filtrar o sangue, eliminando as substâncias tóxicas (como a ureia) e o líquido em excesso (água e sais minerais) através da máquina de hemodiálise que funciona como “rim artificial”, a qual utiliza uma solução de diálise composta, principalmente, por água. Considerando que cada paciente é exposto a aproximadamente 120 litros de água por sessão de hemodiálise e que a água é utilizada, também, no reuso de dialisadores de uso múltiplo, é vital o monitoramento da sua qualidade química a fim de evitar consequências danosas ao paciente. Desde os anos 80, devido ao aumento de indivíduos submetidos ao tratamento de hemodiálise, foram reunidos fatos relacionando a importância dos elementos químicos presentes na água utilizada no tratamento atual com efeitos adversos provocados nos pacientes, tais como anemia, complicações ósseas, hipertensão, desordem neurológica progressiva, náusea e vômito, pois até os anos 70 estes efeitos não estavam relacionados com a qualidade da água. Portanto, estas ocorrências levaram ao estabelecimento de padrões mínimos de qualidade da água utilizada no tratamento de hemodiálise, que no Brasil, atualmente, são definidos na Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 154, de 15 de junho de 2004 (republicada em 31 de maio de 2006) - ANVISA. Assim, além de considerações importantes quanto ao tratamento de hemodiálise foram determinados, experimentalmente, os elementos alumínio, cobre, sódio, cálcio, magnésio, potássio e zinco, utilizando-se a Fotometria de chama e a Espectrometria de Emissão Óptica por Plasma Acoplado Indutivamente. Os resultados das amostras de água coletadas nas quatro etapas do sistema de purificação empregado na Clínica Nefrológica (CNL) – São Gonçalo demonstraram que os teores dos elementos químicos estudados, após a última etapa do tratamento, encontravam-se abaixo dos valores máximos permitidos pela RDC nº 154/2004 – ANVISA (com exceção do alumínio que não foi possível afirmar o valor devido à baixa sensibilidade dos equipamentos), assegurando, assim, a saúde dos seus pacientes.
Keywords: Qualidade da água
Hemodiálise
Osmose reversa
Insuficiência Renal Crônica
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICA
Production unit: Instituto de Química
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: 6-Aug-2012
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Laila Toledo Lira.pdf766,12 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.