Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/6617
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlmeida, Cícera Neysi de-
dc.contributor.authorCardozo, Mayara Coutinho-
dc.date.accessioned2019-02-26T17:55:08Z-
dc.date.available2019-02-28T03:00:17Z-
dc.date.issued2018-08-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/6617-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectRegistro magmáticopt_BR
dc.subjectAmostras subsuperficiaispt_BR
dc.subjectManto sublitosféricopt_BR
dc.titleCaracterização petrográfica e geoquímica de intrusões básicas da Bacia do Parnaíba, norte-nordeste do Brasilpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0878609222243870pt_BR
dc.contributor.referee1Mendes, Julio Cezar-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2278221700182008pt_BR
dc.contributor.referee2Medeiros, Sílvia Regina de-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/7464673635442663pt_BR
dc.description.resumoA Bacia do Parnaíba apresenta em seu domínio rochas magmáticas básicas que refletem os eventos de fragmentação de grandes massas continentais ao longo da Era Mesozóica. Esse importante registro magmático é subdividido e representado em duas unidades geológicas: Formação Mosquito (Triássico-Jurássico) e Formação Sardinha (Cretáceo). Amostras subsuperficiais de dois poços localizados na porção leste da bacia, poços 1UN-15 e 1UN-19, foram utilizadas para análise e forneceram resultados acerca desse registro magmático. O intervalo amostrado do poço 1UN-15 constitui basaltos com texturas hipocristalina a hipohialina, vitrofírica e glomeporfirítica em matriz plumosa a intersertal. No poço 1UN-19 amostras de duas ocorrências de rochas básicas mostram caraterísticas texturais semelhantes, com texturas hipocristalina, hipidiomórfica, glomeroporfirítica e matriz de textura afanítica, intersertal a plumosa e localizadamente intergranular e subofítica. A mineralogia é a mesma para ambos os poços e composta por plagioclásio, clinopiroxênio (augita) e olivina (predominantemente alterados). Minerais opacos e apatita ocorrem como os minerais acessórios. Feições de alterações pós- magmáticas são predominantes e acentuadas nas amostras do poço 1UN-15 e menos evidente nas amostras do poço1UN-19, destacando bowlingita, clorita, serpentina, carbonatos, entre outros minerais secundários. Em diagramas geoquímicos para elementos menores gerados nas amostras das intrusões do poço 1UN-19 verifica-se um enriquecimento nos elementos altamente incompatíveis e baixos teores de TiO2, indicando basaltos de baixo TiO2 (TiO2< 2%) e associados a províncias continentais - CFB (Continental Flood Basalts). Dados da química mineral do poço 1UN-19 revelam variação composicional para os cristais de plagioclásio entre bytownita e labradorita e sugerem processo de cristalização fracionada do magma. Porém a análise do clinopiroxênio indica a presença de cristais de composição correspondente a augita subcálica e pigeonita na matriz da rocha, não concordando com a possibilidade de cristalização fracionada. A semelhança nos valores de química mineral e elementos maiores e traços das amostras de ambas as intrusões do poço 1UN-19 indicam que estas foram originadas a partir de um mesmo magma parental e possivelmente de um manto sublitosférico.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CARDOZO, M.C.pdf3.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.