Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/7263
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Mapeamento geológico da folha Poço Fundo, 1:50.000, Poço Fundo, Minas Gerais
Author(s)/Inventor(s): Rocha, Filipe Menezes
Advisor: Ribeiro, André
Abstract: Na área de Poço Fundo, ocorrem unidades de ortognaisses, em fácies anfibolito e granulito, que aparecem empurradas sobre ortognaisses em fácies anfibolito, do embasamento Arqueno/Paleoproterozóico. Este empurrão é uma importante feição estrutural interpretada como parte da zona de sutura que coloca o Domínio Guaxupé, interpretado como a raiz de um arco magmático na margem ativa do paleocontinente Paranapanema, sobre unidades supostamente relacionadas ao Paleocontinente São Francisco. Este trabalho tem por objetivo caracterizar, principalmente através de mapeamento geológico detalhado, as unidades do Domínio Guaxupé, seu limite basal e substrato, na área da Folha Poço Fundo 1:50.000. O resultado é uma contribuição ao entendimento da evolução geotectônica das Faixas Móveis Brasília e Ribeira no sul de Minas Gerais. O mapeamento mostrou acima da falha quatro unidades de ortognaisses e uma de sillimanita xisto, informalmente aqui denominadas, da base para o topo, de Paiolinho, São João da Mata, Serra do Navio, Poço Fundo, e xisto Bela Vista. A unidade basal é um hornblenda ortognaisse monzogranítico a granodiorítico. O ortognaisse São João da Mata mostra fácies homogênea e migmatítica com bolsões de ortognaisse tipo Poço Fundo e Serra do Navio. O ortognaisse Serra do Navio é granítico grosso com fenocristais de k-feldspato, foliação ígnea, estruturas convolutas em crystal mush (fundido mais cristais) e massas irregulares de granitos equigranulares. O ortoganisse Poço Fundo é granítico equigranular médio e contém bolsões de granito Serra do Navio nos quais também ocorrem massas graníticas equigranulares. Os dois corpos devem ser cogenéticos e representar fácies diferentes de uma mesma unidade magmática. Este magmatismo, possivelmente, foi sin-colisional e derivado dos migmatitos São João da Mata. Além disso, estes ortognaisses graníticos parecem intrudir o sillimanita xisto Bela Vista. A foliação principal nestas rochas tende a acompanhar o traço do empurrão acima mencionado e pode ser interpretada como contemporânea ao movimento gerador da estrutura. Este empurrão, os contatos litológicos e a foliação principal definem um grande antiformal aberto a suave, que registra uma fase de deformação mais nova, sem desenvolvimento de foliação. Esta dobra tem flancos para mergulhando entre 30 e 50 graus para NW e W, e eixo com baixo caimento para NW. O metamorfismo nestas rochas foi de fácies anfibolito alto a granulito, com ortopiroxênio ocorrendo localmente nos ortognaisses e abundante sillimanita no xisto pelítico. Muscovita e sericita secundárias registram uma fase tardia de retrometamorfismo no xisto. Zonas de cisalhamento NE-SW/subverticais dextrais, com milonitos de médio grau, truncam as estruturas mais antigas e podem ser relacionadas aos episódios finais do evento orogênico brasiliano.
Keywords: Nappe Socorro-Guaxupé
Faixa Brasília Meridional
Folha Poço Fundo 1:50.000
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PETROLOGIA
Department : Instituto de Geociências
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Feb-2011
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/7263
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SANTOS, I.N..pdf2,58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.