Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/7457
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorOliveira, Sebastião E. M.-
dc.contributor.authorGuarini, Priscilla de Castro-
dc.date.accessioned2019-04-26T14:15:58Z-
dc.date.available2019-04-28T03:00:29Z-
dc.date.issued2007-12-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/7457-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectsistema interligado nacionalpt_BR
dc.titleEsquemas de controle de segurança aplicados a operação do Sistema Interligado Nacionalpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorCo1Cardoso Junior, Guilherme-
dc.contributor.referee1Ferreira, Antonio Carlos-
dc.description.resumoFace ao blecaute do dia 11 de março de 1999, às 22h16min, que teve início na subestação (SE) Bauru 440kV, o Ministério de Minas e Energia orientou que fossem tomadas medidas de curto e médio prazo para minimizar os riscos de “desligamentos em cascata” no Sistema Interligado Nacional (SIN). Dentre as medidas, criou-se uma Comissão Mista, ELETROBRÁS/CEPEL/ONS e Agentes, com o intuito de reavaliar, com total urgência e prioridade, os esquemas para controle de perturbações de modo a dotar o sistema elétrico brasileiro de meios para evitar colapso no suprimento de energia e, consequentemente, melhorar a segurança operativa do SIN. No âmbito dos trabalhos da Comissão Mista para melhorar a segurança do SIN, encontravam-se as seguintes tarefas: •A análise do desempenho dos Esquemas de Controle de Emergência (ECE) existentes, frente a desligamentos múltiplos no sistema, no sentido de identificar sua adequacidade, e; •O dimensionamento de Esquemas de Controle de Segurança (ECS), quando os ECE não se mostrarem suficientes para minimizar o risco de impactos de grandes proporções. Este trabalho tem por objetivo apresentar a evolução do ECS da Zona de Segurança 1, que compreende a geração nas bacias dos Rios Paraná e Paranapanema, e a exportação através do tronco de 440 kV para o mercado distribuidor de São Paulo, ECS de Assis, em função da entrada em operação de melhorias na área que compreende esta Zona de Segurança, tanto do ponto de melhorias nas SE existentes quanto da entrada em operação de novos circuitos e transformações, de modo a aumentar a segurança operativa do Sistema Interligado Nacional (SIN). Os conceitos e fundamentos básicos, metodologias, critérios e premissas utilizados no estudo também fazem parte deste trabalho. Nesse estudo é testada a efetividade das três lógicas do ECS de Assis atualmente implantadas, sendo indicadas necessidades de adequações nas lógicas existentes, mais precisamente, são propostas alterações nestas lógicas, de modo a reduzir o corte de geração nas usinas hidrelétricas (UHE) de Porto Primavera, Capivara e Taquaruçu quando de contingências na região Sul e Sudeste tanto para a configuração de rede completa como para condições de rede alterada, sempre com o objetivo de se maximizar os intercâmbios entre os subsistemas e garantir a segurança da operação.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola Politécnicapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA ELETRICApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Engenharia Elétrica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
monopoli10001285.pdf2.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.