Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/8819
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Estudos geoquímicos comparativos de granitos tardi a póscolisionais do segmento central do orógeno Ribeira no estado do Rio de Janeiro
Author(s)/Inventor(s): Teixeira, André Gaspar Parente
Advisor: Mendes, Julio Cezar
Abstract: No presente relatório foi conduzido o estudo comparativo dos aspectos geoquímicos e petrográficos de corpos graníticos tardi a pós-colisionais do segmento central do Orógeno Ribeira no estado do Rio de Janeiro. Foram estudados os seguintes corpos plutônicos: Pedra Branca; Favela/Andorinha; São José do Ribeirão; São Pedro; Parati; Mangaratiba; Conceição de Jacareí; Frades e Nova Friburgo. São corpos em geral arredondados, intrudindo rochas geradas durante a Orogenia Brasiliana - Pan africana, formados após o período de máxima deformação. Estes corpos possuem enclaves de litotipos máficos, estruturas de fluxo magmático e mistura mecânica. São basicamente sieno a monzogranitos e apresentam mineralogia pouco variável, compostos por feldspato potássico, plagioclásio, quartzo e biotita, podendo apresentar homblenda, como fases essenciais, e apatita, allanita, titanita, zircão e minerais opacos como as fases acessórias mais comuns. Características geoquímicas indicam um magmatismo álcali-calcico a cálcio-alcalino de altíssimo K, pertencente ao grupo ferroso , metaluminoso a fracamente peraluminoso, enriquecido em Fe2Ü3, Ba e Zr, além de ETRL. Os processos reinantes na câmara magmática durante a gênese de tais corpos foram os de mistura de magmas, cristalização fracionada e assimilação. O diagrama Spider normalizado para crosta continental média de Weaver & Tamer (1984) denota através de um padrão pouco fracionado , o enriquecimento de até 1 O vezes o valor médio da crosta continental, enquanto que o diagrama para ETR mostra um padrão em gaivota clássico de granitos, com discreta anomalia negativa de Eu e valores de ETRL variando de 100 a 1000 vezes o condrito. Diagramas discriminantes de ambientes tectônicos sugerem um trend de evolução magmática gerador de rochas nos estágios tardi a pós-colisionais, com a possibilidade de algumas terem sido geradas sincronicamente à colisão, com uma relevante herança de arco. Segundo parâmetros propostos por Chapell & White (2001 ), as rochas estudadas tendem a possuir características pertinentes principalmente a granitos do tipo-1. Os aspectos observados no presente trabalho estão de acordo com os apresentados por Junho (1990), Mendes et ai. (2002) e Ludka et ai. (2006) , tomando-se viável a utilização do termo Província Granitica Pós-Colisional do Rio de Janeiro (PGPCRJ), com a finalidade de denotar as similaridades geoquímicas, petrográficas e geocronológicas dos corpos graníticos do Rio de Janeiro, bem como lhes conferir um caráter regional, podendo sugerir uma gênese comum para estes corpos. Contudo, estudos, principalmente de cunho isotópico, ainda são necessários.
Keywords: Geoquímica
Orógeno Ribeira
Rio de Janeiro (Estado)
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Department : Instituto de Geociências
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Apr-2010
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TEIXEIRA, A. G. P.pdf17,7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.