Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/1867
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Modelo de previsão de demanda por combustíveis automotivos no Brasil
Autor(es)/Inventor(es): Castro, Gustavo Rabello de
Orientador: Almeida, Edmar Luiz Fagundes de
Coorientador: Losekann, Luciano Dias
Resumo: A introdução e o desenvolvimento da tecnologia do carro flex (bicombustível) no mercado nacional, a partir de 2003, modificou significativamente a dinâmica do mercado de combustíveis no Brasil. Atualmente, os proprietários desses veículos escolhem o combustível a utilizar conforme a relação de preços da gasolina em relação ao etanol. A importância dessa escolha vai se acentuando na medida em que se atingiu a marca de 95% dos carros vendidos no Brasil com tecnologia flex, e pelo fato de que o etanol já representa 35% do consumo de combustíveis em automóveis leves. Assim, esta pesquisa busca analisar os fatores que influenciam a dinâmica do consumo de etanol no Brasil. O objetivo geral é analisar o comportamento da demanda de etanol e gasolina após a inserção do carro flex. Com essa nova constituição da frota de veículos, tanto o consumo de etanol quanto o de gasolina se tornam muito mais elásticos a variações no preço relativo entre os dois combustíveis. Dessa forma, o objetivo específico da monografia é desenvolver uma ferramenta útil na análise e na previsão da demanda por etanol e gasolina. Para tanto estuda-se não somente a relação de substituição entre os dois combustíveis, mas também os fatores que determinam a demanda conjunta por esses dois combustíveis. Tendo como base uma estimação da frota de veículos leves por tipo de combustível, constata-se que, em 2011, a frota flex havia ultrapassado a frota a gasolina, representando 46% e 44% do mercado, respectivamente. De modo a compreender a evolução da frota, estima-se um modelo de demanda por automóveis em função da renda. A frota, por seu turno, é determinante do consumo de combustível em um segundo modelo econométrico estimado. Neste, evidenciou-se a forte sazonalidade do consumo dos combustíveis, além da notável tendência de queda do consumo médio da frota. Por fim, estuda-se a relação entre o consumo de etanol e gasolina em função do preço relativo entre esses dois combustíveis, revelando a menor aceitação do etanol possivelmente em face da sua maior volatilidade de preço.
Palavras-chave: Estrutura da modelagem
Etanol
Modelo de demanda por automóveis
Volatilidade de preço
Gasolina
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA
Departamento: Instituto de Economia
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jan-2012
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/1867
Aparece nas coleções:Ciências Econômicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GRCastro.pdf1,12 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.