Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/306
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Cinema e realidade: uma abordagem sobre o maravilhoso
Autor(es)/Inventor(es): Magariños, Tomás
Orientador: Leblanc, Paola
Resumo: Neste trabalho, tem-se como objetivo abordar algumas das formas de representação da realidade pelo cinema maravilhoso. Buscou-se inicialmente definir o maravilhoso e o fantástico, como gêneros literários, tendo como base, principalmente, as definições de Tzvetan Todorov, para finalmente definir o cinema maravilhoso. Partiu-se dos três modelos propostos por Alain Badiou, que englobam as diferentes posições da filosofia em relação a arte e realidade ao longo da história, para discutir o estatuto do cinema em relação ao real. Para tanto, tomou-se por base três filmes representativos do gênero maravilhoso: Star Wars, Alphaville e Solaris, de George Lucas, Godard e Tarkovski, respectivamente. Para a análise comparativa dos filmes, foram utilizados também os conceitos deleuzianos de ‘regime da imagem’, orgânico e cristalino.
Palavras-chave: Cinema
Audiovisual
Linguagem cinematográfica
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::RADIO E TELEVISAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 8-Jul-2009
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: MAGARIÑOS, Tomás da S. Cinema e realidade: uma abordagem sobre o maravilhoso. 2009. 55f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação – Habilitação em Radialismo) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.
URI: http://hdl.handle.net/11422/306
Aparece nas coleções:Comunicação - Radialismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Monografia_Tomas_Magarinos.pdf787,76 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.