Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/11714
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMorais, Maria Helena Lavinas de-
dc.contributor.authorMagalhães, Clara Torma Monteiro Ferreira-
dc.date.accessioned2020-04-07T15:38:41Z-
dc.date.available2020-04-09T03:00:17Z-
dc.date.issued2019-09-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/11714-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectTrabalho doméstico - Brasil - 2013-2018pt_BR
dc.subjectMercado de trabalhopt_BR
dc.subjectEconomia - Brasilpt_BR
dc.titleO pós-PEC das domésticas: conectando macroeconomia e direitospt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9527487721107297pt_BR
dc.description.resumoApós uma longa sucessão de gradativos avanços nas legislações para regulamentação do emprego doméstico chega-se a PEC das Domésticas: a maior conquista normativa dessa categoria ocupacional. Este trabalho tem como principal objetivo atualizar acerca das recentes configurações e tendências do emprego doméstico à luz da dinâmica macroeconômica e do comportamento do mercado de trabalho. O marco temporal estabelecido para tal análise é o pós-PEC das Domésticas: período compreendido entre a aprovação da PEC pelo Congresso brasileiro, em 2013, e o ano de 2018 – ano anterior à conclusão desta pesquisa. Através da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios Contínua foram extraídas oito variáveis de estudo, formando um grande painel que permite apurar os principais traços socioeconômicos das trabalhadoras domésticas na contemporaneidade. Este mesmo período é marcado por uma das maiores crises econômicas brasileiras, fato que direcionou esta pesquisa para busca por conexões entre a cena macroeconômica e a garantia de direitos ao trabalho decente e ao bemestar das domésticas. Os últimos anos do pós-PEC desenham um cenário desafiador para o emprego doméstico devido à recente deterioração de vários indicadores importantes para essas trabalhadoras, da flexibilização do trabalho e da desestruturação do mercado laboral. As reflexões desenvolvidas têm como ponto de partida a perspectiva interseccional e a discussão da colonialidade, entendendo as raízes históricas desta ocupação, marcada majoritariamente e estruturalmente pela presença de mulheres negras. Agrega-se ao trabalho a dimensão da forte heterogeneidade estrutural da economia brasileira, que responde pela contínua precarização de muitas ocupações na estrutura ocupacional do país, como é o caso do emprego doméstico.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Economiapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CTMFMagalhães.pdf745,97 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.