Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4977
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Hidroquímica do aquífero do Mangue de Pedra - Armação dos Búzios - RJ
Autor(es)/Inventor(es): Benfeita, João Victor Escramozino
Orientador: Mansur, Kátia Leite
Coorientador: Silva Júnior, Gerson Cardoso da
Resumo: O Mangue de Pedra, localizado na Praia Gorda - Armação dos Búzios – RJ possui notável valor paisagístico. Constitui um ambiente de extrema importância em todo o contexto natural local, por ser considerado um berçário de fauna e flora singulares, devido a uma rara combinação de características geológicas e hidrogeológicas. Os manguezais necessitam de água salobra para se sustentar e comumente esse ambiente está associado à desembocadura de rios e cursos d’água; porém, o Mangue de Pedra deve sua existência ao aporte de água subterrânea doce continental que se mescla à água marinha. Outra particularidade, que o torna tão interessante cientificamente, é que o substrato é essencialmente rochoso, com sedimentos de granulometria variando de areia média/grossa a blocos, o que não é comum, pois os manguezais em geral estão dispostos em substrato lamoso, argiloso. A presente pesquisa buscou, através da coleta e análise de sete amostras de água subterrânea, somadas a outras nove análises disponíveis, caracterizar quimicamente o aquífero que alimenta o manguezal. Primeiramente, com o auxílio de mapas verificou-se que o pH é mais básico em áreas mais próximas do mar e mais ácido em áreas mais afastadas. Observou-se também que as amostras mais próximas ao mar continham um valor de condutividade elétrica mais elevado que as mais afastadas, o que é explicado pela influência marinha na salinização das águas subterrâneas mais próximas a ele. A partir das análises hidroquímicas geraram-se diagramas e gráficos que permitiram a classificação da água como essencialmente cloretada-sódica e com reduzidos teores de bicarbonato, os teores de bicarbonato são reduzidos nas amostras ácidas onde o mesmo fica fora do campo de estabilidade. As análises de razões iônicas evidenciam que as amostras são essencialmente continentais e ácidas e que, as amostras mais próximas ao mar, revelaram a maior salinização contendo um pH mais básico, levando a conclusão que o mar influência de maneira direta água subterrânea mais próxima a ele. A atual pesquisa corroborou as conclusões obtidas em estudos anteriores relativos ao funcionamento hidrogeológico do Mangue de Pedra, dependente tanto das águas marinha quanto da água subterrânea local.
Palavras-chave: Hidroquímica
Mangue de Pedra
Armação dos Búzios
Hidrogeologia
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jan-2017
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4977
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BENFEITA, J.V.E.pdf2,07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.