Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5266
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Caracterização do PLA e desenvolvimento do projeto de fantoma de olho a partir de impressão 3D para dosimetria de procedimentos radioterápicos e de radiodiagnóstico.
Autor(es)/Inventor(es): Pereira, Dirceu Dias
Orientador: Gonçalves, Odair Dias
Coorientador: Cardoso, Simone Coutinho
Resumo: Procedimentos médicos que utilizam radiação ionizante devem ser rigorosamente controlados a fim de evitar exposições desnecessárias ao paciente e ao profissional ocupacionalmente exposto. A dose não desejada nos órgãos de risco associados à região dos olhos em procedimentos de radioterapia de cabeça é crítica, alcançando facilmente valores que podem causar o surgimento de efeitos determinísticos. Este quadro também pode ocorrer com os profissionais ocupacionalmente expostos em procedimentos de radiodiagnóstico. Este trabalho faz parte de uma iniciativa que visa o desenvolvimento de técnicas e dispositivos para minimizar a exposição desnecessária da região dos olhos em procedimentos de radioterapia e radiodiagnóstico e tem como objetivo o projeto para desenvolvimento de um fantoma de olho para ser adicionado ao fantoma antropomórfico Alderson-Rando, utilizando impressão 3D, para dosimetria destes procedimentos. Um dos principais fatores a serem considerados na escolha da matéria prima para impressão é a adequação destes matérias na simulação de tecidos humanos. Diversos artigos na literatura já estudaram as características de interação da radiação com a matéria prima de impressão 3D. O PLA é um dos polímeros mais utilizados nesse sistema, apresentando características de interação com a radiação ionizante semelhantes às características de tecidos moles, sendo portanto conveniente para a construção do fantoma, devendo, entretanto, ser caracterizado quanto às suas propriedades de atenuação e espalhamento da radiação. As dificuldades na verificação experimental precisa e acurada do coeficiente de atenuação faz com que essa medida tornasse, em sí, um segundo objetivo do trabalho. Determinamos o coeficiente de atenuação do PLA utilizando um tubo de raios X e uma fonte de Amerício-241. Os resultados e metodologia usados nessa determinação são mostrados na primeira parte deste trabalho, enquanto que na segunda detalhamos o projeto do fantoma.
Palavras-chave: Fantoma de olho
Coeficiente de atenuação
Dosimetria
Ácido Poliláctico
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::FISICA
Departamento: Instituto de Física
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 31-Jan-2017
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5266
Aparece nas coleções:Física Médica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DDPereira.pdf2,67 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.